Síndrome gripal

Algumas pessoas com síndrome gripal podem apresentar a forma grave e evoluir para a síndrome respiratória aguda grave (SRAG).

As populações com maior risco para que isso ocorra são: 

- Grávidas em qualquer idade gestacional, 

- puérperas até 45 dias após o parto (incluindo as que tiveram aborto ou perda fetal),  

- Adultos ≥ 60 anos, 

- Crianças < 2 anos, 

- População indígena aldeada, 

- Pessoas com doenças crônicas como: Pneumopatias (incluindo asma), Cardiovasculopatias (excluindo hipertensão arterial sistêmica), Nefropatias, Hepatopatias, Doenças hematológicas (incluindo anemia falciforme), Distúrbios metabólicos (incluindo diabetes mellitus), Transtornos neurológicos e do desenvolvimento que podem comprometer a função respiratória ou aumentar o risco de aspiração (disfunção cognitiva, lesão medular, epilepsia, paralisia cerebral, Síndrome de Down, Acidente Vascular Cerebral ou doenças neuromusculares), 

- Imunossupressão associada a: medicamentos, neoplasias, HIV/Aids ou outros, Obesidade (Índice de Massa Corporal IMC ≥ 40 em adultos), 

- População privada de liberdade 

- Moradores de rua.