6 sintomas que você deve desconfiar que está com problema pulmonar

As pessoas muitas vezes ignoram problemas de saúde, atribuindo sintomas ao envelhecer ou acreditando estar fora de forma. Comumente ignoramos o que parece ser sintomas inofensivos, sem saber que eles são sinais reveladores de que possamos ter uma doença pulmonar.

As doenças pulmonares crônicas respondem melhor ao tratamento quando são diagnosticadas precocemente. Com base em informações da American Lung Association, listamos seis dos sintomas mais comuns de muitas doenças pulmonares. Se você tiver algum desses, procure um pneumologista.

 

Tosse crônica

Se você teve tosse por mais de um mês, é praticamente considerada uma tosse crônica. Quase todas as doenças pulmonares têm uma tosse crônica como um dos principais sintomas. É um sinal de alerta de que algo não está correto com seus pulmões.

 

Falta de ar

A maioria das pessoas (a menos que estejam bem condicionadas) ficam sem fôlego quando praticam exercícios físicos ou esforço extenuante. Se você achar que você está sem fôlego em situações comuns para você ou fazendo coisas que não exigem tanto esforço, provavelmente você precisa consultar o médico.

 

Tosse com produção de escarro e muco

Muco é a defesa natural do corpo contra infecções e irritações das vias aéreas. Se você tem gripe ou um resfriado, provavelmente uma grande quantidade de escarro ou muco é comum. Mas se você está produzindo muito muco continuamente, isso pode indicar uma doença pulmonar crônica.

 

Sibilos ou chiado no peito

É um sinal de que algo poderia estar bloqueando as vias aéreas ou algo está tornando-os muito estreitos. A Asma e a Bronquite Cronica são comumente associados aos sibilos.

 

Tossindo sangue

A tosse do sangue pode ser um sinal de uma infecção do sistema respiratório superior ou dos pulmões. De qualquer forma, é um sinal claro de que algo está errado e não deve ser ignorado.

 

Dor no peito

Qualquer dor de caixa torácica inexplicada ou uma sensação de aperto no tórax quando você respirar deve ser investigado pelo seu médico, caso persista por mais de uma semana.