Sinusite

A sinusite, também chamada de rinossinusite, é a inflamação e infecção das cavidades paranasais. Produzem sintomas como cefaléia ou dor de cabeça, secreção nasal purulenta, dor nos dentes superiores, obstrução nasal, tosse e alterações do olfato. A sinusite pode ser classificada em aguda ou crônica, sendo que a sinusite aguda é aquela em que a permanência dos sintomas limita-se a doze semanas.

A sinusite aguda geralmente é precedida por um episódio de infecção viral das vias aéreas superiores, como resfriados comuns. A persistência dos sintomas nasais por mais de 5 a 7 dias é fortemente indicativo de evolução para rinossinusite aguda bacteriana. Normalmente a sinusite aguda evolui bem após iniciado o tratamento correto, porém em alguns casos podem ocorrer complicações como infecções da órbita, pálpebras e até mesmo meningite. O tratamento da sinusite aguda é feito com antibióticos de 10 a 14 dias, anti-inflamatórios sistêmicos e tópicos; e irrigação nasal com soro fisiológico.

A sinusite crônica ocorre quando há persistência dos sintomas por mais de doze semanas. Pode apresentar uma ocorrência constante dos sintomas ou apresentar flutuação, com períodos de acalmia e posterior recidiva, caracterizando um padrão bifásico. Na sinusite crônica ocorre uma persistência da inflamação da mucosa do nariz e cavidades paranasais, com intensa infiltração de células inflamatórias como neutrófilos e eosinófilos. Diversos fatores contribuem para a instalação da sinusite crônica como a anatomia dos canais de drenagem dos seios paranasais, a qualidade do muco nasal, a função dos cílios da mucosa que drenam essa secreção e infecções crônicas bacterianas e fúngicas que perpetuam o estímulo inflamatório. Existe ainda um tipo de sinusite crônica que se apresenta com a formação de pólipos, ou seja, tumorações inflamatórias que obstruem de maneira severa a respiração e a drenagem dos seios paranasais.

O diagnóstico das sinusites é feito através da história clínica e exame físico, associado à endoscopia nasal, que fornece informações fundamentais principalmente nos casos de sinusite crônica. Os exames de imagem também fazem parte do processo de diagnóstico, sendo que o método preferencial é a tomografia computadorizada, por permitir grande detalhamento das estruturas anatômicas e das condições inflamatórios dos seios paranasais.

O tratamento da sinusite aguda é feito com antibióticos de 10 a 14 dias, antiinflamatórios sistêmicos e tópicos; e irrigação nasal com soro fisiológico. O tratamento da sinusite crônica também é realizado com antibióticos, antiinflamatórios tópicos e sistêmicos, assim como irrigação nasal com soro fisiológico, porém o tratamento cirúrgico é indicado com maior freqüência com intuito de melhorar a drenagem e ventilação dos seios paranasais, assim como realizar a remoção de pólipos nasais.